Saiba mais sobre os transtornos mentais na infância

7 minutos para ler

Os transtornos mentais afetam, de maneira geral, toda a sociedade mundial direta ou indiretamente. Estamos na era da ansiedade, da depressão e de muitas outras doenças que atingem a mente, o psicológico e, no caso de crianças, a capacidade cognitiva e comportamental.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), afirma em seu relatório mundial da saúde que um em cada cinco adolescentes enfrenta problemas de saúde mental. O documento diz, ainda, que metade de todas as doenças mentais começa aos 14 anos. A instituição também levanta outro dado alarmante — o suicídio é a segunda maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos.

O que esses dados têm em comum? Eles alertam que o cuidado com o bem-estar mental de crianças e adolescentes deve ser uma prioridade não só do Estado, mas dos pais, professores e de toda a sociedade interessada no desenvolvimento e amadurecimento saudável dos indivíduos.

Neste artigo vamos abordar quais são os principais transtornos mentais na infância, suas causas e sintomas. Quer saber mais? Continue a leitura!

Não é exagero, nem distorção de comportamento

Os transtornos que afetam as crianças devem ser diagnosticados por um profissional. No entanto, antes de existir esse laudo, o paciente dá os primeiros sinais de que algo não vai tão bem. Apatia, dificuldade de aprendizado, falta de interação com os demais e irritabilidade são alguns desses sintomas.

Muitas vezes pais, familiares e até professores concluem que a criança está passando por uma fase difícil, julgam que seja exagero ou pirraça, ou que simplesmente aquilo faz parte da sua personalidade.

Por isso, é importante observar a criança e entender que nem todos os comportamentos são comuns. Para cada questão em específico, busque informações com um profissional para saber o que é ou não um caso médico. Quanto mais cedo o diagnóstico e início do tratamento, melhor o pequeno desenvolverá suas habilidades, apesar das limitações.

Os principais transtornos infantis

Alguns transtornos que se prolongam ao longo da vida adulta são identificados na infância. Isso se dá, principalmente, quando a pessoa não consegue desempenhar suas atividades escolares ou estabelecer relações com outras pessoas. Veja agora os principais transtornos infantis, suas causas e seus sintomas!

Ansiedade

A ansiedade é a preocupação ou o medo exagerado de que algo errado aconteça. As crianças estão descobrindo o mundo, portanto é normal que tenham certos medos, como de escuro, por exemplo. Porém, quando isso afeta o dia a dia e elas param de fazer atividades por medo, é o momento dos pais procurarem ajuda profissional. As principais causas e sintomas são:

  • causas: separação dos pais, dificuldades no ambiente escolar, medos normais que podem se tornar fobias;
  • sintomas: medos e fobias, realização de muitos rituais diários, exigência com comida e dificuldade para dormir.

Para identificar essas questões com mais facilidade, atente às queixas e reclamações dos pequenos. Além disso, não considere que seus medos e preocupações são insignificantes. Manter uma relação de confiança e segurança é o que fará que eles se sintam à vontade para se expressarem!

Estresse

O ambiente moderno é cheio de estímulos, tecnologia e estresse. Assim, do mesmo modo que afeta os adultos, esse transtorno também chega às crianças. Elas são estimuladas o tempo todo a desenvolverem habilidades e aprenderem novas lições, mas tudo em excesso é prejudicial. Veja agora as causas e sintomas:

  • causas: excesso de responsabilidades e cobranças, doenças, perdas de parentes, mudanças, desentendimentos paternos e rejeição na escola;
  • sintomas: irritabilidade, choro excessivo, insônia e desobediência.

Para amenizar a situação, primeiro, conte com um especialista, que saberá identificar melhor o que está havendo. Depois, é importante desacelerar, diminuir as cobranças e respeitar o tempo da criança no seu desenvolvimento, afinal cada um tem uma maneira de absorver o que acontece no seu entorno.

Bipolaridade

Momentos de euforia completa alternados com irritação e depressão — é assim que a bipolaridade se manifesta. Essa alternância ocorre de forma marcante no dia a dia da criança e tem diferentes níveis, o que prejudica um cotidiano saudável. Os sinais e fatores que ajudam no seu aparecimento são:

  • causas: não existe uma causa específica, porém acredita-se que seja hereditária, envolve ainda alterações químicas cerebrais;
  • sintomas: felicidade ou irritação em excesso, comportamentos perigosos, agressividade e descontrole de impulsos.

O diagnóstico é feito por um especialista, que solicitará exames e conversará tanto com a criança quanto com os pais para entender melhor. Geralmente, a criança será medicada para que as alterações cerebrais possam se estabelecer. Cabe informar, no entanto, que esse não é um transtorno muito comum em crianças.

Obsessivo compulsivo

O transtorno obsessivo compulsivo se manifesta na forma de repetições de atos, rituais diários e pensamentos que não consegue evitar. Quando não exerce a repetição, a criança fica aflita e começa a achar que algo de ruim vai acontecer. Por conta dessas implicações, o quadro pode evoluir para uma depressão. Entre suas causas e sintomas, estão:

  • causas: também não existe uma causa específica, mas a genética é um fator de risco, pois a estrutura e o funcionamento do cérebro aumentam as chances do TOC se manifestar. Além disso, traumas como abuso e agressões também podem desencadear a condição;
  • sintomas: lavar as mãos ou escovar os dentes muitas vezes no dia, escrever a mesma palavras ou texto, ler a mesma revista ou livros, ter mania de organizar os brinquedos.

Déficit de atenção e hiperatividade

Chamado de TDAH, trata-se de um transtorno neurobiológico em que a criança sofre de desatenção, inquietude e impulsividade. É um dos distúrbios que mais afetam as crianças e, quando não existe o diagnóstico precoce, o desenvolvimento e aprendizado da criança podem ser comprometidos. Os principais sintomas e as causas são:

  • causas: as principais causas são genéticas e alterações no funcionamento do cérebro;
  • sintomas: desatenção, hiperatividade, impulsividade, dificuldade no aprendizado e inquietação.

 Espectro autista

O autismo não é apenas um transtorno, ele tem uma gama de ramificações com dificuldades e intensidades variadas. Os sinais mais óbvios tendem a aparecer entre os dois e três anos. O espectro ou TEA, como também é chamado, envolve desafios com comportamento, sociabilidade e comunicação. Veja quais são suas causas e sintomas:

  • causas: são uma combinação genética, neurológica e ambientais, como: prematuridade, infecções no pré-natal e complicações no parto;
  • sintomas: dificuldade de manter contato visual, atraso de comunicação verbal e não-verbal, desconforto ao ser tocado, não responder ao ser chamado pelo nome.

Quanto mais cedo o transtorno for identificado melhor será para a criança e a família, pois viabiliza o atendimento e o ensino especializado, para diminuir e amenizar os prejuízos cognitivos e educacionais.

Transtornos mentais na infância comprometem o desenvolvimento, o crescimento e o amadurecimento da criança. Por isso, é importante estar atento ao comportamento, às dificuldades, principalmente, no ambiente escolar, pois a escola é o primeiro ambiente de socialização fora da família. Em casos suspeitos é imprescindível procurar por um diagnostico profissional para que o tratamento comece o quanto antes.

Gostou de aprender mais sobre esse e outros assuntos? Siga nossa página no Facebook e fique por dentro de todas as novidades!

Qualquer dúvida entre em contato clicando aqui

Você também pode gostar