A dependência química e suas consequências são um dos problemas que mais afligem muitas famílias nos tempos atuais. Mas, apesar disso, os sintomas de quem usa drogas, quase sempre são muito visíveis e isso pode ajudar na busca de tratamentos eficazes, capazes de recuperar a vida do usuário, antes que os efeitos tomem proporções maiores.

O dependente químico normalmente é visto como uma pessoa fraca, sem força de vontade e bom senso. E o problema quase sempre é tratado como um caso de indisciplina e até de polícia. As famílias, sem a orientação adequada e por temerem o preconceito, esforçam-se para resolver a situação usando uma abordagem ineficiente.

Não adianta esconder o problema. Fingir que a dependência não existe não a eliminará, nem os males que ela acarreta. O primeiro passo é se informar. Saber o que é a dependência química, quais são as suas principais características e como ela afeta o indivíduo é fundamental para orientar as ações.

O que é a dependência química?

A dependência química não é falta de caráter ou desvio de comportamento. É uma doença que se caracteriza por alterações cognitivas e comportamentais e sintomas fisiológicos, que se manifestam após o uso repetido do álcool e de outras drogas. Por alterar o comportamento do indivíduo, a doença traz uma série de complicações para ele e para as pessoas do seu convívio.

As causas da dependência química são complexas e envolvem uma série de fatores: genéticos, psicossociais e ambientais. Muitas vezes a pessoa começa a fazer uso de drogas por curiosidade ou por pressão do grupo social. Dificuldades em lidar com os problemas, perdas, tristezas e até mesmo o sucesso também podem levar a pessoa ao alcoolismo e ao consumo de maconha e de drogas mais pesadas.

Enquanto algumas pessoas são capazes de fazer uso ocasional de álcool, sem desenvolver a dependência, para outras, bastam os primeiros goles para que percam totalmente o controle. Isso pode ser explicado pela predisposição genética que algumas pessoas têm de desenvolver a dependência química.

Características

A dependência química é incurável, ou seja, não existe um tratamento capaz de eliminar a doença do organismo. Mas ela é passível de controle, desde que seja feito um acompanhamento constante do paciente. Além disso, é progressiva, tende a piorar os sintomas no decorrer do tempo. A pessoa passa a necessitar de doses cada vezes maiores ou de substâncias cada vez mais nocivas.

Ela também é fatal, pois os danos causados ao organismo são inúmeros e podem resultar em doenças pulmonares (enfisemas), do coração, dos rins e do cérebro. O dependente costuma adotar comportamentos de risco que podem levá-lo a contrair doenças venéreas e AIDS. O uso de drogas costuma levar o indivíduo a se envolver com o crime (roubos, assaltos, etc), o que resulta em mortes violentas e precoces.

A dependência química é uma doença complexa e, como toda doença, exige um tratamento especializado. Esse tratamento pode incluir internações em clínicas especializadas, diferentes tipos de terapias e até uso de medicamentos. O tratamento adequado é capaz de estacionar a doença, fazendo com que o paciente possa conviver em sociedade e ter uma vida produtiva.

Quais são os principais sintomas da quem usa drogas?

Os sintomas podem aparecer de formas bem variadas, manifestando-se em atitudes, comportamentos e até mesmo na saúde física da pessoa. Confira a seguir alguns deles:

Negligência e desonestidade

À medida que a dependência aumenta, é comum que a pessoa passe a cuidar cada vez menos de si mesma e de suas atividades, demonstrando não se importar tanto com aquilo que significava algo para ela antes. Assim, o trabalho, os relacionamentos e até a própria aparência passam a ser tratados de forma negligente, com pouca ou nenhuma dedicação.

Isso acontece porque a dependência faz com que tudo gire em torno do vício: tudo na vida da pessoa é guiado pela sua “necessidade” por determinada substância. Esse controle é tão forte que acaba alterando hábitos e gerando comportamentos negativos, como a desonestidade.

As mentiras costumam começar aos poucos, com coisas pequenas como desculpas inventadas para fugir de um compromisso, por exemplo. No entanto, a tendência é que essa atitude aumente com o tempo, chegando a ser tão frequente que a pessoa começa a mentir para si mesma.

Descontrole financeiro

A dependência química costuma ter grande impacto sobre a situação financeira da pessoa, pois as substâncias normalmente custam caro e passam a ser um gasto frequente no seu cotidiano. Assim, o controle financeiro fica cada vez menor.

Para poder sustentar seu vício, é comum o dependente químico começar a vender objetos pessoais ou, ainda, realizar pequenos furtos. Nesse último caso, a pessoa costuma pegar alguns itens da casa para vender e conseguir algum dinheiro.

Alterações no comportamento

comportamento da pessoa sofre alterações drásticas à medida que o vício aumenta. Dentre os principais efeitos, podem-se destacar:

  • depressão: a pessoa passa a sentir medo e angústia sem explicação ou só consegue se sentir bem quando está sob o efeito da substância, se mostrando triste e desanimada no restante do tempo;
  • impaciência: a pessoa fica irritada com os outros e com situações simples, foca apenas nos problemas e quer que tudo se resolva imediatamente;
  • frustração: o usuário de substâncias fica desmotivado consigo mesmo e com os outros, mostrando-se desanimado por não conseguir alcançar seus objetivos;
  • euforia: a pessoa fica inquieta e agitada quando utiliza a substância ou quando sente a necessidade de usá-la.

Mudança de atividades e amizades

Outro fato comum é que o dependente químico comece a abandonar atividades que costumava fazer, deixando de frequentar grupos (religiosos, esportivos e de trabalho, por exemplo) e afastando-se de seus antigos amigos.

Normalmente, a pessoa passa a buscar a companhia apenas de outros usuários da substância na qual ela é viciada. Assim, a família pode perceber mudanças em suas amizades.

Falta de motivação

Entre os principais sintomas de quem usa drogas, está o desinteresse por trabalho e por uma rotina saudável. Algumas drogas proporcionam um efeito de cansaço e preguiça e isso afeta diretamente na rotina da pessoa.

A dependência química é capaz, inclusive, de fazer com que o usuário perca o desempenho normal de suas tarefas do dia a dia e isso pode acarretar em inúmeros malefícios tanto para a sua vida pessoal como profissional.

Diminuição do rendimento no trabalho e nos estudos

Quando jovens, os sintomas de quem usa droga podem ser ainda mais devastadores e impactar negativamente no futuro do usuário. Imagine um filho em plena idade produtiva não conseguir trabalho ou se prejudicar na escolha ou faculdade pelo fato de não conseguir se concentrar ou não apresentar uma boa postura em uma entrevista.

Infelizmente, essa realidade afeta muitos adolescentes brasileiros e cabe as famílias buscarem ajuda o quanto antes, no intuito de salvar a vida e permitir um futuro brilhante a esses jovens.

Mudanças bruscas de humor

Muitas vezes a família não tem o conhecimento de ter alguém próximo que seja usuário de drogas. Uma das formas mais comuns de se notar a mudança de comportamento está atrelada ao humor. Drogas como cocaína e substâncias sintéticas, por exemplo, costumam causar efeitos devastadores no organismo que, consequentemente, afetam o humor do usuário, em especial, nos dias posteriores ao consumo.

Se você perceber qualquer mudança frequente desse comportamento e notar que o ente querido apresenta sinais de depressão, isolamento ou tristeza, é hora de ficar atenta e acompanhar mais de perto a rotina dele.

Sustentação do vício

É muito provável que o dependente químico, quando atinge níveis mais expressivos desses sintomas acima, precise, de alguma forma, sustentar o próprio vicio. O fato é que, normalmente, o dinheiro não seja mais suficiente e, a partir daí, que os problemas começam a se agravar.

Há possibilidades de a pessoa querer cometer pequenos furtos, pedir dinheiro para outros, vender objetos pessoais e, até mesmo, se prostituir para conseguir aquilo que busca. é importante lembrar que alimentar o vício, achando que isso acalma o dependente é um erro grave. Jamais motivo o uso ou facilite a compra dessas substâncias. Quando perceber que a situação está fora de controle, busque ajuda profissional.

Troca de dependência

Quando o usuário atinge um estágio extremo da dependência química, a tendência é que ele busque cada vez mais aquela falsa sensação que a droga oferece. O problema nesse caso é que, quando ele não consegue mais sustentar a droga, pode ser que busque outras alternativas, mas baratas ou mais fortes.

Isso potencializa os malefícios no organismo e, dependendo das drogas e das quantidades utilizadas, pode acarretar em uma overdose. Por isso, vale reforçar a importância de nunca incentivar o consumo ou de sugerir mudar o tipo de entorpecente.

Enfim, essas foram algumas dicas importantes sobre os principais sintomas de quem usa drogas e como a família deve agir nesse momento tão difícil. Infelizmente, a dependência química é uma doença que não tem cura. No entanto, há diversos métodos e tratamentos, extremamente eficientes que são capazes de livrar a pessoa do vício e retomar a vida normal

Vale ressaltar que, muitas vezes, o usuário tem o desejo de parar ou diminuir o uso da substância química. No entanto, esse é um trabalho extremamente difícil para ele realizar sozinho. Por esse motivo, o apoio da família e a busca por ajuda são essenciais.

Gostou do texto? Agora você conhece as principais características e sintomas da dependência química, mas pode aprofundar seus conhecimentos lendo nosso artigo sobre como funciona o vício em drogas!

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas. Entre em contato para conversarmos mais!

(11)2088-1909
(11)97522-6386 VIVO WHATSAPP
(11)95997-7546 TIM
(11)99199-2029 CLARO
(11)96230-9281 OI
(11)94262-3311 NEXTEL

Site Oficial:  www.viversemdroga.com.br