Infelizmente, todos nós estamos sujeitos a adoecer ao longo da vida. Algumas doenças podem ser prevenidas por meio de vacinas e de cuidados básicos, mas não é o caso das doenças psiquiátricas. Algumas, em especial, surgem na fase adulta, chegam de forma silenciosa e geram transtornos para a pessoa e para os que convivem com ela, como é o caso do transtorno de personalidade esquizoide.

Pessoas com essas condições, geralmente, parecem estranhas e preferem viver solitárias. Dependendo do grau, convivem razoavelmente bem em sociedade, mas buscam trabalhos que não precisem de interação, como segurança à noite em empresas, bibliotecas, laboratórios, guarda-noturno de rua, etc.

Este artigo tem como objetivo esclarecer alguns fatos sobre o transtorno da personalidade esquizoide. Confira.

O que é o transtorno de personalidade esquizoide?

Esquizoide é um tipo de transtorno que foi identificado no início do século XX e diz respeito ao indivíduo que se fecha para o convívio em sociedade e começa a viver apenas no seu mundo interior.

Os portadores desse transtorno têm preferências por atividades solitárias porque são completamente indiferentes à realidade que os cerca. Eles não são capazes de demonstrar emoções e se tornam cada vez mais introspectivos e antissociais.

Qual a diferença entre esquizoide, esquizofrenia e autismo?

É muito comum esse transtorno ser confundido com esquizofrenia, por causa da semelhança semântica, ou com autismo, que é um distúrbio neurológico muito parecido. No entanto, são patologias diferentes.

Na esquizofrenia, o portador tem dificuldade de distinguir as experiências internas das externas e se entrega aos sintomas psicóticos de delírio e alucinação. Apesar das diferenças, o transtorno de personalidade esquizoide é predominante em pessoas que têm histórico de esquizofrenia na família.

No autismo, a pessoa não é capaz de reconhecer no outro expressões de sentimentos como felicidade ou raiva, mas sente essas emoções, apesar de não saber demonstrar. Já a pessoa com transtorno de personalidade esquizoide percebe as emoções dos outros, mas, aparentemente, não sente nada.

Quais são as características desse transtorno?

Pessoas com transtorno esquizoide são peculiares, pois frequentemente estão reclusas e ficam reorganizando suas tarefas para que não tenha contato com outras pessoas. Por gostarem de viver solitárias, pouquíssimas se casam, e a grande maioria continua a viver com os pais, mas dentro de seu mundo.

Frieza emocional

Nem mesmo a morte de um parente próximo pode causar sofrimento a quem tem transtorno de personalidade esquizoide. A pessoa é incapaz de sentir ou de demonstrar suas próprias emoções.

Empatia, frieza e distância de outras pessoas são características marcantes de quem tem esse tipo de transtorno. A pessoa se torna imune às críticas e elogios, pois é incapaz de distinguir sentimentos.

Preferência por atividades solitárias

O isolamento social é outra característica dessa doença. O indivíduo tem preferência por ficar sozinho, seja qual for a ocasião — mesmo as pessoas que praticam atividades de lazer, fazem isso de forma solitária, como no caso de jogos eletrônicos.

Dificuldade e desinteresse em se relacionar

Quem sofre com essa doença não demonstra interesse em fazer parte de uma família ou em ter amigos. Por ser indiferente a qualquer sentimento afetivo como amor ou raiva, a pessoa que tem transtorno de personalidade esquizoide não tem desejos sexuais.

Alto poder de imaginação

O fato do portador de transtorno de personalidade esquizoide não se interessar pela vida real faz com que ele crie um universo paralelo. Ele é capaz de imaginar inúmeras situações e reagir a elas como se fossem reais.

Quais são as causas da esquizoide?

Pouco se sabe sobre o transtorno de personalidade esquizoide. O que foi identificado, até o momento, é que há grande influência do ambiente e da genética.

Um dos fatores que contribui para o desenvolvimento dessa doença é ter tido cuidadores insensíveis e negligentes quando criança, demonstrando que relacionamentos não são prazerosos e nem gratificantes.

A perturbação pode aparecer de forma fraca na infância ou adolescência, em forma de solidão, em que a pessoa evita fazer amizades, além de demonstrar baixo rendimento escolar.

Nesse período, é comum os jovens serem vítimas de bullying. No entanto, é na vida adulta que o transtorno se apresenta de maneira mais forte e, principalmente, nos homens.

Outro fator é que o paciente tenha na família histórico de esquizofrenia.  Ele pode não desenvolver a esquizofrenia, mas sim, a esquizoide.

Como é feito o diagnóstico?

Não existem exames laboratoriais para diagnosticar a esquizoide. Porém, o médico pode fazer testes para descartar doenças físicas que causam os sintomas. Psiquiatras e psicólogos utilizam-se de ferramentas de entrevistas e avaliações para constatar o transtorno de personalidade.

Também são analisados os graus que o paciente tem quanto ao distanciamento permanente e nenhum interesse nos relacionamentos sociais apresentando pouca emoção quando interage com alguém. Se há preferências por atividades solitárias, pouco desejo sexual, falta de vontade de ter amigos e frieza emocional.

Quais os tipos de tratamentos?

Pessoas com esquizoide costumam apresentar outros transtornos associados, depressão e ansiedade, que são tratados juntamente. Os familiares, em geral, procuram pelos tratamentos porque o paciente não aceita que tem um problema e, muito menos, que precisa de cuidados.

O médico psiquiatra é o profissional indicado para dar um diagnóstico e as devidas orientações aos familiares quanto ao caso.

Medicamentos

Na realidade, não existe um medicamente próprio para esquizoide. Os psiquiatras utilizam os antidepressivos e ansiolíticos para tratar estas doenças que atuam com o transtorno. O objetivo é deixar a pessoa mais tranquila para que outras terapêuticas possam ser realizadas.

Psicoterapia

terapia cognitivo-comportamental é considerada o método mais eficaz, pois o paciente aprende a reformular os pensamentos e a diferenciar seus sentimentos quando são reais ou não. Assim, começa a ter uma mudança de comportamento, seus sentimentos e emoções.

Melhora da autoestima

A partir de momento que reaprende a ter um convívio social, percebe os sentimentos das pessoas por ele, tornando-se mais próxima da família e de amigos. As atividades solitárias já não são tão comuns e, assim, começa a aceitar críticas e elogios.

A terapia pode proporcionar uma mudança gradual, e o portador do transtorno pode ter mais qualidade de vida. Além disso, o apoio da família é muito importante.

Agora que você aprendeu o que é transtorno de personalidade esquizoide, suas causas, como é feito o diagnóstico e as formas de tratamento, você poderá ajudar alguém que sofre da doença ou, mesmo, um familiar que tem esse problema em casa.

Quer saber mais sobre essa doença ou outros transtornos mentais e dependência química? Acesse nosso site e conheça o trabalho que desenvolvemos.

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool, drogas e remédios. Entre em contato para conversarmos mais!

(11)2088-1909
(11)97522-6386 VIVO WHATSAPP
(11)95997-7546 TIM
(11)99199-2029 CLARO
(11)96230-9281 OI
(11)94262-3311 NEXTEL

Site Oficial:  www.viversemdroga.com.br