Entenda o que é redução de danos e sua importância!

6 minutos para ler

O período de reabilitação, seguido da recuperação plena de um dependente, é crucial para o sucesso do tratamento. Por isso, é interessante que recursos sejam direcionados para essas fases tão críticas.

Alguns estudiosos definem que a reabilitação é o redimensionamento dos objetivos pessoais do indivíduo, aliado a um novo entendimento pessoal e um enfrentamento de gatilhos. A redução de danos é uma forte estratégia para ajudar os adictos a evitarem recaídas e manterem o comprometimento na contenção do vício.

É justamente sobre ela que vamos falar neste artigo. Você vai entender o que é redução de danos, sua importância e como aplicá-la em tratamentos. Quer saber mais? Continue a leitura!

     

O que é redução de danos?

É a estratégia que visa, como o próprio nome diz, a diminuir os prejuízos causados pelo uso de drogas na sociedade. Para tal, utiliza de práticas e políticas humanas, empáticas e individualistas para alcançar esse objetivo.

Esse pensamento mais humanitário e empático em relação aos dependentes surgiu na Europa, mais precisamente na Holanda, em 1980, para combater a disseminação de doenças pelo uso de drogas injetáveis.

Passou-se, então, a adotar métodos mais amplos e altruístas que não pretendiam erradicar o uso das drogas, mas conter seus efeitos. Era vista como uma tarefa quase impossível. Contudo, analisavam-se os processos pelos quais um viciado passa, na tentativa de humanizar o tratamento e permitir que as drogas impactem menos na comunidade em geral.

Qual é a importância da redução de danos?

Estudos atestam a importância da redução de danos na reabilitação de dependentes. Por envolver práticas mais humanas e encarar a dependência como uma doença, maneira correta de enfrentá-la, a redução de danos traz vários benefícios para a saúde pública e para a vida dos dependentes.

Relacionados:  Como é feito o tratamento para alcoolismo na terceira idade?

A estratégia admite o usuário de drogas como um indivíduo único que tem seus motivos particulares para se viciar. A partir daí, tem-se uma gama de tratamentos e métodos que são adotados para aquela pessoa especificamente.

Você está procurando uma boa clinica? Clique aqui. Se deseja conversar diretamente com um terapeuta sobre clinicas Clique aqui.

Portanto, o grande papel da redução de danos dentro da saúde pública é evitar a contaminação e proliferação de doenças, principalmente nos dependentes de drogas injetáveis, e garantir o sucesso da reabilitação dos usuários em tratamento.

Quais são os principais pilares da redução de danos?

Os métodos e as práticas da redução de danos são baseados em três pilares principais. São diretrizes que pretendem humanizar e individualizar os tratamentos para garantir maior eficácia. Conheça agora os 3 principais!

Pragmatismo

A redução de danos é pragmática porque oferece serviços de saúde a todos, mesmo às pessoas que tenham recaído no vício. Apesar de não padronizar os tratamentos, ela segue fases de procedimentos. O objetivo dessa política é a preservação da vida, não importa de quem seja. Esse é o grande resultado que ela almeja.

Tolerância

A tolerância é outro princípio ressaltado pela redução de danos. A estratégia, em nenhum momento, julga o indivíduo ou faz juízo moral de seu caráter. Ela apenas o reconhece como alguém doente que precisa de ajuda e sugere as melhores alternativas para aquele contexto. Logo, evita-se intervenções autoritárias ou preconceituosas.

Compreensão da diversidade

Compreender a diversidade é um ponto-chave para o sucesso da redução de danos. Entender que cada pessoa tem uma relação particular com a compulsão e os motivos diversos para se tornar dependente faz com que a técnica não padronize pacotes de cura que são ineficazes e excludentes.

Como aplicar a redução de danos?

O primeiro passo para aplicar a redução de danos é perceber o contexto de cada dependente e, a partir de então, definir uma abordagem. Os processos seguintes são os descritos a seguir!

Relacionados:  As 2 Melhores Clinicas de Reabilitação Masculina e Feminina de SP

Principais objetivos

Nessa etapa, o dependente vai encarar o vício como uma doença, entender que pode ser tratado e, então, definir quais são seus principais objetivos com as ações que pretende desenvolver.

Metas intermediárias

As metas intermediárias vão compor o objetivo maior. O intuito aqui é dividi-lo em pequenas partes para que fique mais fácil de alcançá-lo e não cause grandes frustrações ao dependente.

Tomada de decisões

Aqui, o adicto define quais serão as ações que o levarão a atingir seus objetivos principais. Nesta fase, o dependente se compromete a executá-las a partir deste momento. São ações pequenas e cotidianas, mas que impactam diretamente na manutenção e preservação da sua saúde e dos demais.

Avaliação de resultados

Depois de todas as etapas realizadas, por fim, é chegado o momento de avaliar os resultados obtidos e se existiram fracassos. Os pontos positivos devem ser ressaltados, e os negativos, realinhados. É interessante reforçar o comprometimento do dependente para que a motivação continue pautando o tratamento.

     

Quais cuidados tomar?

A redução de danos tem todas as ferramentas necessárias para cumprir seu objetivo. No entanto, é preciso aceitar que, com algumas pessoas, a tática não vai funcionar, pois existem milhares de motivos externos que podem fazê-la fracassar. Isso é absolutamente normal, cabendo aos profissionais redirecionarem a estratégia.

Outro ponto de preocupação é a comunicação. É imprescindível conversar e escutar ativamente o dependente ou corre-se o risco de cair na facilidade dos padrões e kits de tratamento preestabelecidos, que não têm a mesma eficácia que a redução de danos.

Além da comunicação, outra habilidade interpessoal que deve estar sempre em uso é a empatia. Não dá para ouvir um dependente sem se colocar no lugar dele e entender suas dores, suas angústias e seus gatilhos – enfim, compreender os motivos que o levaram àquela situação.

Relacionados:  Tudo sobre maconha: A Porta de Entrada para o Mundo das Drogas.

Reduzir danos significa olhar para o indivíduo e reconhecer suas fraquezas, mas sem julgar. É uma estratégia humana que procura e tenta preservar a vida, não apenas dos dependentes, mas também da comunidade ao redor. Afinal, a dependência envolve todo seu entorno.

Assimilar o que é redução de danos, sua importância e os procedimentos necessários são os primeiros estágios para implementá-la com sucesso em qualquer tipo de tratamento para dependentes químicos. No entanto, é necessário não se esquecer dos princípios que norteiam a qualidade e eficácia da estratégia.

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas. Entre em contato com a Instituição Viver sem Drogas para conversarmos mais! Contatos:

Duvidas:

(11) 2088-1909

(11) 97522-6386 VIVO WHATSAPP

(11) 95997-7546 TIM

(11) 99199-2029 CLARO

(11) 94262-3311 NEXTEL

Site Oficial: www.viversemdroga.com.br

CLIQUE NA FOTO E RECEBA SEU E-BOOK GRATUITO!
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é httpsblog.viversemdroga.com_.brwp-contentuploads202004Guia-completo-como-se-livrar-do-Mundo-das-Drogas.pdf.jpg

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas.

Duvidas:

(11) 2088-1909

(11) 97522-6386 VIVO WHATSAPP Clique aqui.

(11) 95997-7546 TIM

(11) 99199-2029 CLARO

(11) 94262-3311 NEXTEL

Site Oficial: https://www.viversemdroga.com.br/

Você também pode gostar
WhatsApp chat