É preciso mudar de cidade no pós-tratamento de dependentes químicos?

4 minutos para ler

O tratamento para controlar o vício em drogas depende de muitos processos e fatores. Deve existir uma conscientização sobre a doença, o nível em que ela está e o quanto o dependente quer realmente aprender a lidar com sua compulsão.

O apoio da família e dos amigos é indispensável em todas as etapas. A pessoa precisa sentir-se segura e acolhida. Quadros de depressão e abandono podem provocar uma recaída.

Outro fator que contribui muito para o sucesso do pós-tratamento é mudar de cidade. Escolher outros ares ajuda a pessoa no seu recomeço pessoal, além de tirá-la de perto de antigos-gatilho e pessoas, ocasionalmente, tóxicas. Quer saber como a alteração de ambiente ajuda no tratamento no tratamento? Leia este post!

Quais são as vantagens de mudar de cidade para fazer o tratamento?

A dependência química, em seus estágios mais avançados, faz com que o dependente esteja em função da compulsão, seja ela qual for. O adicto deixa de lado todos os hábitos saudáveis e se torna um refém das drogas.

Ao se conscientizar que precisa de tratamento, uma das primeiras atitudes a serem tomadas é retirá-lo do meio em que estava inserido. É preciso que isso aconteça para que ele veja novas oportunidades e acredite que realmente pode recomeçar a vida.

A alternativa mais plausível, nesse caso, é mudar de cidade. Essa decisão acarreta inúmeras vantagens. Conheça as principais!

Mudança de hábitos

O dependente em pós-tratamento que opta por mudar de cidade vai adquirir novos hábitos, mais saudáveis. A adoção de uma nova rotina leva o adicto à prática de exercícios físicos, frequentar grupos de encontro de outros dependentes em recuperação, descobrir novas habilidades profissionais e se inserir em um meio em que os antigos gatilhos não funcionem.

Sair do antigo círculo social

O contexto social do dependente, antes da noção de que está doente, é composto de pessoas tão ou mais viciadas que ele. Por isso, é necessário fugir desses antigos contatos e buscar novas interações sociais.

Evitar sair nos dois primeiros anos a festas com bebidas alcoólicas! Depois desse tempo se tiver que ir a alguma festa de família ou de trabalho que tenha bebidas alcoólicas… seja o último a chegar e o primeiro a sair!

Facilidade para iniciar uma nova vida

Qualquer pessoa, viciada ou não, que mude de cidade cria uma nova expectativa sobre o lugar. Enxerga aquela oportunidade como a chance de fazer coisas diferentes e buscar melhorar pessoal e profissionalmente. Para um dependente, o sentimento também é este: recomeçar e refazer-se.

Observação: Nunca sozinho no local ou cidade nova! Sempre acompanhado de um familiar! “Eu sozinho, sou meu pior inimigo!”

Como definir um novo destino?

Alguns dependentes escolhem fazer o tratamento em outras cidades, por diversos motivos: as clínicas locais não são tão boas, a necessidade de mudança preexistente e a vontade de reestruturar a vida em outro lugar. Assim, ele, às vezes, mantém residência nas cidades em que iniciou a recuperação.

Opte sempre por cidades que ofereçam suporte ao tratamento, inclusive, no longo prazo. Analise também a qualidade de vida do lugar, uma vez que esse é um fator importante para quem está em reabilitação.

Quais são os cuidados importantes no processo de recuperação?

Existem alguns processos recomendados para aqueles que estão em tratamento, tanto para evitar uma recaída quanto para estimular novos hábitos. A atividade física é uma grande aliada no controle da ansiedade e na construção da autoestima.

Atividades artísticas e culturais também precisam entrar na vida cotidiana: ir a grupos de apoio e/ou a encontros com outros dependentes em recuperação. A terapia também ajuda a identificar e controlar os gatilhos. É sempre importante evitar ao máximo ambientes que exponham o dependente ao risco da recaída.

Mudar de cidade ajuda um dependente a reconstruir a vida, mas ele precisa contar com o apoio da família e dos amigos. Assim, ele se adapta melhor a uma nova rotina e se empenha no tratamento e no controle da compulsão.

Quer saber mais sobre tratamento de dependentes químicos? Entre em contato com a Viver sem Drogas e acabe de vez com todas suas dúvidas!

Você também pode gostar