Saiba quais são os efeitos da heroína no organismo

6 minutos para ler

A heroína é uma das drogas mais potentes, viciantes e mortais do mundo. Derivada de algumas espécies da papoula, a Papaver somniferum — um tipo de planta nativa do Oriente Médio e de países do sul da Europa —, assim como o ópio, essa droga ilícita é obtida pela transformação química da morfina.

Ou seja, da papoula retira-se o ópio, do ópio obtém-se a morfina e da morfina produz-se a devastadora heroína. No entanto, entenda que a principal finalidade do cultivo dessa planta era para uso medicinal. Já existiram e existem vários remédios inofensivos com propriedades extraídas da papoula.

Contudo, conhecendo os efeitos alucinógenos da substância, parte desse destino foi alterado. As pessoas passaram a utilizar a planta para produzir essa droga tão viciante. E como o vício acontece? Por que usuários se comportam de maneira tão incomum durante os efeitos da heroína? Continue para entender!

     

Como é a utilização da heroína atualmente?

Como a substância é derivada da morfina, a denominação química da heroína é diacetilmorfina. Vale ressaltar que o ópio sem si não é o grande vilão. Há muitos anos, ele era utilizado somente para tratamentos de saúde. Contudo, atualmente, o uso de seus derivados se transformou em verdadeiros e complexos problemas de saúde.

O emprego inadequado da propriedade expandiu-se tanto pelos laboratórios ilícitos e pelo comércio ilegal de drogas que o cultivo da planta é proibido no Brasil e em muitos países. Este é um dos entorpecentes mais caros e a maior parte dele é consumida em países da Europa e também pelos Estados Unidos.

Para você ter uma ideia da devastação, em 2017, o então presidente Donald Trump declarou epidemia de opioides (que são as drogas derivadas do ópio) nos Estados Unidos e a situação passou a ser uma emergência de saúde pública como nunca vista antes no país.

Relacionados:  Como escolher a melhor clínica de reabilitação para um filho?

Mesmo não sendo o narcótico mais utilizado por aqui — devido à dificuldade de distribuição e a consequente elevação do preço, pois a produção da papoula é feita em países como Turquia, China e Índia — existem muitas pessoas que sofrem com sua dependência, prejudicando a boa saúde, a vida social e o relacionamento de famílias inteiras.

A droga é considerada semi sintética ou semi natural e pode ser consumida de várias formas: injetada (altamente perigosa para contração de doenças); fumada (aquecida com auxílio de um recipiente como uma colher) ou inalada. Ao contrário do que se pode imaginar, o efeito viciante da heroína acontece em qualquer uma das formas de utilização.

Quais são os efeitos da droga no organismo?

Você está procurando uma boa clinica? Clique aqui. Se deseja conversar diretamente com um terapeuta sobre clinicas Clique aqui.

A heroína é um alucinógeno muito potente e altera toda a estrutura física e fisiológica do cérebro, sendo altamente destruidora. Seu efeito de dependência é instantâneo para muitas pessoas. O uso a longo prazo pode ser irreversível para as sequelas da doença, como a diminuição da capacidade cognitiva e atraso mental.

Especialistas alertam para o pouco tempo de vida de uma pessoa que consome heroína. Há mortes causadas por overdose da substância e também por crises de abstinência, de tão fortes que podem ser. Os efeitos são devastadores dessa droga que é considerada três vezes mais forte do que a morfina. Confira!

Sensação de prazer

Assim que injetada, inalada ou fumada, a heroína começa a agir em cerca de sete segundos. A substância tem alto poder de ativar a dopamina, nosso neurotransmissor do prazer. Com isso, transformam as necessidades orgânicas de uma pessoa em necessidade exclusiva pela substância.

Isso inibe o processo natural da sensação de prazer, substituída pela sensação de prazer causada pela droga sintética, o que potencializa muito o sentimento de bem-estar na pessoa. Assim, usuários de heroína logo sentem elevação da autoestima, leveza e euforia, comparável a um orgasmo.

Relacionados:  TDAH e drogas: qual a relação entre a doença e o uso de drogas?

A dor e tristeza que a pessoa provavelmente sentia antes de usar a droga é substituída por esse mix de sentimentos bons, o que faz com que ela queira isso novamente. Como a dopamina associa a sensação de recompensa do prazer, o cérebro entende que aquela substância que proporcionou tanta satisfação deve ser consumida mais e mais, levando, assim, a pessoa ao vício extremo.

Sonolência

Muitas drogas de abuso dão sonolência após o ápice da euforia. Isso acontece também com a heroína. Após a sensação de bem-estar e tranquilidade, a pessoa começa a ficar letárgica, depressiva e sonolenta. A temperatura do corpo diminui, as pupilas se contraem e o usuário entra em sono profundo. Ele pode dormir por muitas horas seguidas, mais do que duraria o sono de uma pessoa saudável.

Insônia e depressão profunda

No período de abstinência, o usuário desenvolve sintomas adversos aos que lhe proporcionaram o bem-estar inicial, que dura cerca de cinco a sete horas. Nessa fase, ele tem insônia, depressão profunda, agitação e transpiração excessiva. Por isso, para que possa sentir prazer novamente, ele busca mais doses da substância, o que o leva a um círculo vicioso. A droga é altamente depressora do sistema nervoso central.

Diarreia, calafrios e febre alta

Entre 24 e 48 horas após tomar a dose de heroína, a pessoa passa a ter diarreia forte, dores musculares, perda do apetite, calafrios, tremores, sentir pânico e febre alta. Esses são efeitos da heroína quando a sensação de prazer acaba, causando a confusão e desregulação total do cérebro e, consequentemente, do organismo em geral.

Necrose dos órgãos

Outro efeito devastador da heroína é a necrose — morte de um tecido ou parte dele quando um organismo ainda está vivo. Quando consumida na forma injetável (a maneira mais utilizada pelos usuários) a substância cai na corrente sanguínea e, de tão potente que é, pode necrosar certos órgãos e veias. Isso também dificulta a entrada da agulha nas veias e a pessoa se machuca toda vez que faz a aplicação, ficando cheia de picadas.

Relacionados:  Internação involuntária: quando ela deve acontecer?

Quais são os tratamentos indicados?

Os efeitos da heroína, a sensação de prazer e a compulsão são coisas que acontecem facilmente com o seu uso. A dependência é muito devastadora e rápida, podendo ser vista já nas primeiras vezes que uma pessoa utiliza. Contudo, o que não é fácil nem rápido é o tratamento para abandonar a droga e sair do vício de entorpecentes.

Por isso, sabemos da luta que é para as famílias se livrarem dessa situação e podemos ajudar. Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas. Entre em contato para conversarmos mais!

(11) 2088-1909

(11) 97522-6386 VIVO WHATSAPP

(11) 95997-7546 TIM

(11) 99199-2029 CLARO

(11) 94262-3311 NEXTEL

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas.

Duvidas:

(11) 2088-1909

(11) 97522-6386 VIVO WHATSAPP Clique aqui.

(11) 95997-7546 TIM

(11) 99199-2029 CLARO

(11) 94262-3311 NEXTEL

Site Oficial: https://www.viversemdroga.com.br/

Você também pode gostar
WhatsApp chat