Consulta com psiquiatra: como convencer alguém a procurar ajuda?

6 minutos para ler

Um dependente químico precisa de uma rede de apoio, força de vontade e estar cercado de bons profissionais no processo para se livrar de vez das drogas. A consulta com psiquiatra e acompanhamento desse profissional nesses casos é imprescindível, já que todas as fases do tratamento envolvem mudanças e sensações que o cérebro não está acostumado a ter.

Apesar de importante, é comum que as pessoas apresentem certa resistência para visitar um psiquiatra. Nesses momentos, é muito importante saber apoiar e explicar a necessidade de se ter um profissional desse tipo, principalmente durante o tratamento de dependência química.

A seguir, você vai entender quando é preciso consultar um psiquiatra e como convencer alguém a procurar esse tipo de ajuda.

     

Por que um psiquiatra?

A dependência química ocorre, em sua grande parte, no cérebro. É ele que envia ao corpo os sinais da falta da droga e que causa compulsão, abstinência, necessidade de sempre usar uma quantidade maior para que o efeito seja o mesmo e assim por diante.

O usuário de drogas, portanto, passa por um transtorno mental e que precisa de um profissional capacitado no acompanhamento. O psiquiatra, por sua vez, vai ajudar a entender o vício, os gatilhos que impulsionam o uso da droga naquela pessoa e, assim, prescrever um tratamento de acordo com as necessidades do paciente.

Quando procurar um psiquiatra?

Assim que o dependente químico toma consciência de sua situação, o primeiro passo é procurar um médico com essa especialidade. Contudo, é difícil que ele tome essa decisão sozinho, por ainda haver preconceito com esse tipo de profissional.

Nesse momento, o apoio da família e as palavras certas de encorajamento podem ajudar muito o dependente químico a tomar a decisão certa.

Relacionados:  Como funcionam os centros de recuperação para dependentes químicos?

Como convencer alguém a fazer uma consulta com psiquiatra?

É muito importante ter paciência nesses momentos. O amor dos amigos e da família se faz por meio de gestos de compreensão e insistência na cura do dependente. A dica é convencê-lo, primeiro, de que precisa de ajuda para sair das drogas.

Você está procurando uma boa clinica? Clique aqui. Se deseja conversar diretamente com um terapeuta sobre clinicas Clique aqui.

A seguir, você confere algumas dicas para encorajar um dependente a fazer uma consulta com psiquiatra.

Ajude a reconhecer o problema

O mais desafiador no início é trazer o usuário de drogas para a realidade de que precisa de ajuda. Nesse momento, o ideal é evitar conflitos e nunca abordar a pessoa enquanto ela estiver sob o efeito de entorpecentes, já que esse tipo de substância provoca a distorção da realidade e pode até desencadear comportamentos agressivos.

Além disso, é pouco provável que a pessoa se lembre do que foi falado enquanto estava sob o efeito de tais substâncias. A dica é abordá-la em situações em que ela estiver de bom humor e que não tenha consumido drogas. Uma conversa amigável sobre a perspectiva dela para o futuro, o que ela acha sobre o tratamento e se ela está disposta a mudar é um ótimo início.

Evite críticas

Para oferecer apoio integral ao dependente, é necessário se conter na hora de criticar. Lembre-se de que o usuário de drogas costuma ter uma autoestima baixa quando não está sob o efeito delas.

Qualquer crítica mal posicionada pode trazer o efeito contrário, ou seja, em vez de procurar ajuda e se apegar ao tratamento, a autoconfiança pode ficar abalada, tornando uma recaída muito possível.

Toda vez que tiver uma crítica, tente reverter para uma palavra de apoio e demonstre confiança.

CLIQUE NA FOTO E RECEBA SEU E-BOOK GRATUITO!
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é httpsblog.viversemdroga.com_.brwp-contentuploads202004Guia-completo-como-se-livrar-do-Mundo-das-Drogas.pdf.jpg

Derrube o preconceito com o psiquiatra

Infelizmente, o estereótipo do psiquiatra é associado à loucura ou a problemas mentais mais severos. Entretanto, é preciso derrubar essa barreira de preconceito, já que esse profissional é muito mais do que isso, sendo responsável pela saúde mental.

Relacionados:  Personalidade Esquizoide: o que é e como tratar?

Para ajudar um dependente a desconstruir a imagem negativa de um psiquiatra, lembre-o de que há vários tipos de especialidades médicas. Assim como há disfunções nos rins, estômago e coração, o cérebro também pode ter problemas que são puramente químicos.

O desequilíbrio da química cerebral nunca é culpa da pessoa, e é importante frisar isso. Com medicamentos e tratamento adequado, tudo fica balanceado, e tomar o controle de um vício pode ser muito mais fácil quando a mente está saudável.

Ofereça sua companhia para ir às consultas

A visita a um psiquiatra pode trazer insegurança e até medo do diagnóstico. Por isso, encoraje o dependente a visitar o profissional e ofereça sua companhia para ir até lá. Você não precisa entrar na consulta, mas só o fato de estar presente, ir até o local com a pessoa e acompanhá-la pode significar muito para ela.

Outra questão é a permanência no tratamento. Manter as consultas na frequência indicada pelo médico é fundamental para o sucesso do afastamento das drogas. Ajude o dependente a marcar os horários, cheque os retornos e sempre encoraje-o a enfrentar as inseguranças e comparecer às consultas de rotina.

Mostre exemplos de casos de sucesso

Quando você vai a uma clínica de reabilitação, é comum que quem trabalha ali tenha um exemplo de caso de sucesso para inspirar quem está em busca da cura. Nesse processo, frise a importância do profissional da medicina e procure depoimentos de quem passou por isso e, com ajuda médica, conseguiu se livrar do uso das drogas.

Não force demais

Se você está tentando fazer com que seu amigo ou familiar vá ao psiquiatra para começar um processo de independência das substâncias químicas, respeite o tempo da pessoa. Se você perceber que esse assunto ainda é um tabu ou que incomoda demais, dê um tempo.

Relacionados:  Quanto tempo dura um tratamento para dependente químico?

Esteja sempre por perto oferecendo ajuda e apoiando, mas evite falar sobre o psiquiatra se isso ainda causar mal-estar. No tempo certo e ao se ver cercado de apoio, o dependente pode ficar mais maleável e aceitar a conversa melhor.

Convencer alguém a fazer uma consulta com psiquiatra pode ser um desafio, já que esse profissional ainda sofre preconceito e causa até certo medo, mas lembre-se de que o companheirismo e o amor são fundamentais para, aos poucos, convencer o dependente de que cada etapa do processo é essencial para uma vida mais plena e com muito mais qualidade no futuro, longe das drogas.

Psiquiatras e psicólogos são fundamentais no tratamento contra as drogas. Confira aqui quando visitar um psicólogo antes de partir para a internação.

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas. Entre em contato para conversarmos mais!

(11) 2088-1909

(11) 97522-6386 VIVO WHATSAPP

(11) 95997-7546 TIM

(11) 99199-2029 CLARO

(11) 94262-3311 NEXTEL

Site oficial: www.viversemdroga.com.br

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas.

Duvidas:

(11) 2088-1909

(11) 97522-6386 VIVO WHATSAPP Clique aqui.

(11) 95997-7546 TIM

(11) 99199-2029 CLARO

(11) 94262-3311 NEXTEL

Site Oficial: https://www.viversemdroga.com.br/

Você também pode gostar
WhatsApp chat