Você já deve ter ouvido falar sobre a relação entre entorpecentes e problemas de fertilidade, mas será que isso é verdade? Como o álcool, o cigarro, a maconha e a cocaína podem interferir no seu sistema reprodutor? Quais consequências disso para quem usa as chamadas “drogas pesadas”?

Apesar de existir muito boato nesse tipo de assunto, existe sim uma relação bem próxima entre a infertilidade e o uso constante de substâncias químicas prejudiciais à saúde.

Se você quiser saber mais sobre isso, fique atento a este texto e confira todas as informações dadas por ele. Com certeza, todas as suas dúvidas vão ser sanadas a partir de agora!

As drogas e os problemas de fertilidade

Todas as drogas, sejam elas lícitas ou não, podem causar infertilidade nos dependentes químicos. Para isso acontecer, é preciso analisar uma série de fatores, como a frequência, a quantidade e o tipo de entorpecente que a pessoa consome.

Mas por que isso acontece? A atuação desses entorpecentes pode causar uma série de pequenos problemas que afetam, diretamente, a fertilidade de homens e mulheres:

  • diminuição da libido;
  • queda do desempenho sexual;
  • disfunção erétil;
  • atrofia das células que produzem testosterona;
  • alterações na qualidade do sêmen;
  • dificuldades para ovular;
  • mudanças menstruais;
  • aumento do risco de aborto espontâneo;
  • possível má formação do feto.

Veja, nos próximos tópicos, como cada tipo de droga lícita ou ilícita interfere na fertilidade de homens e mulheres, mesmo, se antes do uso, eles fossem pessoas saudáveis.

1. Álcool

O consumo frequente e desmedido de álcool, normalmente, causa modificações graves em dois importantes órgãos do corpo humano: fígado e cérebro. E é exatamente no cérebro que ele pode gerar problemas de fertilidade.

Isso porque nas mulheres, por exemplo, a produção hormonal pode ser afetada pelo uso excessivo dessa droga. Assim, todo o funcionamento saudável do sistema reprodutor feminino é comprometido, da libido até a ovulação. Essa interferência pode diminuir em quase 70% a fertilidade das mulheres.

Já nos homens não é tão diferente assim. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas também afeta o sistema cerebral e, consequentemente, tudo que envolve os órgãos e hormônios relacionados à reprodução.

A diferença é que até o ataque ao fígado pode trazer problemas, já que ao mudar as funções hepáticas, ele pode produzir mais estrogênio e diminuir, consideravelmente, o número de espermatozoides.

2. Cigarro

Com suas quase cinco mil substâncias tóxicas, existem várias que prejudicam o funcionamento saudável do sistema reprodutor. Assim como no álcool, o principal problema é com a produção hormonal de mulheres e homens.

As alterações podem ser tão fortes que até mesmo a reprodução assistida tem muitas chances de dar errada por conta do vício em nicotina. Sem falar da possibilidade de sérias lesões em trompas, ovários, testículos e demais órgãos genitais.

O cigarro também é responsável por uma série de possibilidades de câncer e outras doenças crônicas que podem gerar a má formação fetal e os abortos espontâneos.

3. Maconha

Em estudo publicado pela revista Human Reproduction, os especialistas mostram que o consumo de maconha pode dobrar a chance de infertilidade entre os homens mais jovens.

A pesquisa também afirma que há efeito parecido com quem tem mais de 30 anos, mas, pelo volume de droga ingerida pelos garotos, essa interferência é bem mais forte neles.

Além de alterar o padrão dos espermatozoides e atrapalhar a fecundação, a maconha ainda pode trazer outros problemas de fertilidade. O THC influencia na produção de testosterona, altera os ciclos menstruais e pode gerar dificuldades de ovulação.

4. Cocaína

Uma droga que foi tendência entre os mais jovens até os anos 80, continua forte atualmente e ainda produz sérios transtornos para quem a consome. A cocaína é repleta de elementos químicos que podem destruir a sua vida em pouco tempo.

Na questão da reprodução, ela também é trágica, pois atinge diretamente o sistema nervoso central e as funções do cérebro.

Só de fazer isso, a droga já interfere na produção hormonal e no funcionamento comum dos órgãos reprodutores com quedas de ovulação, de produção de espermatozoides e a falta constante e progressiva de libido.

5. Ecstasy

Chamada popularmente de droga do amor, o ecstasy não é tão sexual quanto parece ser. Muito pelo contrário, as anfetaminas e metanfetaminas podem prejudicar bastante o sistema reprodutor de homens e mulheres.

A qualidade do sêmen diminui com o passar do tempo, assim como a libido que se perde em meio à euforia inicial do uso do entorpecente.

Nas mulheres, o ecstasy reduz a quantidade de reserva de óvulos e causa modificações na ciclo menstrual natural.

6. Heroína e crack

As drogas mais potentes e destruidoras conhecidas atualmente na humanidade são a heroína e o crack. Apesar de menos consumidas que as outras, a tragédia que elas podem causar já é um grave problema de saúde pública, independentemente do número de pessoas doentes.

Além de todos os problemas que foram falados aqui, o crack e a heroína podem causar a infertilidade irreversível. Ou seja, você pode ficar infértil para sempre, sem nenhum tratamento que consiga modificar essa situação.

O uso exagerado de cocaína, ecstasy e outras drogas também pode causar isso, mas com o crack e a heroína é muito mais rápido e fácil chegar a esse nível de trauma. Por isso, é muito importante que a família esteja ao lado do usuário de droga e trate aquilo como uma questão de saúde, busque ajuda e tente, de todas as maneiras, tirar a pessoa dessa vida degradante.

7. Anabolizantes

Embora muitos ainda não tratem como, os anabolizantes também são drogas e podem causar graves problemas de fertilidade. Assim como o crack e a heroína, eles também podem trazer a infertilidade permanente com a disfunção erétil, atrofia de testículos e a produção de espermatozoides inférteis.

Nas mulheres, há também um grave transtorno. Isso ocorre porque a maioria desses produtos são feitos de testosterona. O hormônio masculino pode, simplesmente, destruir qualquer chance de reprodução e de libido feminina, interrompendo, inclusive, a ovulação e, até mesmo, a menstruação.

O consumo de qualquer tipo de entorpecente é tratável e todos esses problemas podem ser evitados e revertidos, caso os pacientes façam o tratamento correto. É essencial o apoio da família nesse momento para provar ao usuário que ele necessita de ajuda.

O tratamento médico, com remédios e internações para distanciar a pessoa das drogas, tem altas chances de conseguir reverter essa situação. Se você tem uma pessoa querida que passa pelo problema, ajude-a a mudar a realidade da própria vida e, consequentemente, desviar-se dos problemas de infertilidade.

Você também pode compartilhar este texto nas suas redes sociais e mostrar para outras pessoas como os problemas de fertilidade causados pelo uso de drogas existem, mas que são possíveis de serem curados com o apoio da família, dos amigos e o tratamento médico correto.

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de álcool e drogas. Entre em contato para conversarmos mais!

(11)2088-1909
(11)97522-6386 VIVO WHATSAPP
(11)95997-7546 TIM
(11)99199-2029 CLARO
(11)96230-9281 OI
(11)94262-3311 NEXTEL

Site Oficial:  www.viversemdroga.com.br