Existe uma cena clássica que é repetida muitas vezes nos cinemas e na televisão: um homem chega em casa bêbado, inicia uma discussão com a esposa e, em poucos momentos, a briga se torna agressão física. De fato, a violência e o uso de drogas (seja o álcool ou substâncias ilegais) estão associados em cerca de 17% dos casos de agressão, de acordo com um estudo da Universidade de São Paulo.

Para entender melhor como se dá essa relação, preparamos o texto de hoje. Confira!

Drogas causam a violência?

Um ponto importante nesse assunto, antes de tudo, é entender que o uso de drogas não é o único responsável pela violência. Nesses casos, o que pode ocorrer é a ativação de uma série de gatilhos que levam o dependente químico a atos violentos.

Muitos agressores usam a dependência química como desculpa para seus atos, e, por sua vez, existem vítimas que tendem a atenuar a violência sofrida com a mesma argumentação. Por isso, é necessário um tratamento completo psicológico e médico para reverter a situação.

Quando começa a violência?

De acordo com um estudo da Universidade de São Paulo, dos 35% das residências brasileiras em que houve violência doméstica, em mais de 17% ocorreu abuso de álcool pelo agressor. O Levantamento Nacional de Álcool e Drogas, realizado pela Universidade Federal de São Paulo, mostrou que entre os homens jovens que consomem álcool, quase dois terços se envolveram em agressão física. Esse número aumenta para mais da metade se também houve consumo de cocaína.

O uso de drogas como cocaína, anfetaminas e até esteroides também são relacionados com atitudes violentas, uma vez que podem desencadear paranoia e depressão. Substâncias estimulantes, por sua vez, reduzem o senso crítico e controle, por isso estão frequentemente associadas a episódios violentos.

Qual a relação de drogas e criminalidade?

Em casos mais extremos, dados do Programa Ação Pela Vida apontam que mais de 60% das vítimas de assassinato estavam sob o efeito de entorpecentes. Ou seja, muitas vezes o usuário de drogas não é apenas o agressor, mas também a vítima da violência.

O mesmo estudo mostra que o perfil de vítimas de assassinos é muito parecido. Em geral, esses homicídios estão relacionados a outros crimes, como tráfico, roubo e agressão.

Muitas vezes, as drogas e álcool podem ser usados de forma a facilitar ações criminosas, já que induzem a um estado mental de descontrole. Da mesma forma, o uso de substâncias também é utilizado de forma a diminuir a responsabilidade pessoal do usuário pelas suas ações.

Não é o fim do caminho!

Apesar de parecer uma situação incontornável para muitas famílias, a dependência química pode ser revertida. Quanto mais cedo se identificar os sinais, melhor e mais efetivo o tratamento será. Por isso, é importante estar atento a comportamentos estranhos e buscar ajuda especializada.

Mesmo agressores e pessoas dependentes químicas podem mudar e ser reinseridas na sociedade. Apesar de fatores como vício e doenças mentais não eximirem a responsabilidade de quem comete atos violentos, é preciso levar em conta isso para ajudar efetivamente a modificar esse cenário.

Lidar com a questão da violência e o uso de drogas pode ser extremamente complicado, especialmente quando se inclui violência doméstica e criminalidade na conta. É necessário muita persistência e não ter vergonha de pedir por ajuda.

Toda família pode passar pela mesma situação, mas ela é reversível. Precisa de ajuda ou tem dúvidas? Entre em contato conosco!

Entre em contato com a Instituição Viver Sem Droga e tire suas dúvidas.

(11)2088-1909
(11)97522-6386 VIVO WHATSAPP
(11)95997-7546 TIM
(11)99199-2029 CLARO
(11)96230-9281 OI
(11)94262-3311 NEXTEL

Site Oficial:  www.viversemdroga.com.br

Saiba mais Sobre:

*Como funciona uma Clínica de Recuperação? Clicando Aqui

*Internação Involuntária. Clicando Aqui